Saúde

Você se preocupa com o envelhecimento do seu cérebro?

Publicado em: 09/04/2021

Existem hábitos que podem ajudar a reduzir o envelhecimento do mentor do corpo humano 

por Hellen Barbosa

Temos uma notícia boa e uma ruim. Você sabia que a partir dos 30 anos de idade existe uma degeneração real do cérebro, comprovada cientificamente? A parte boa disso tudo é que a 20 anos atrás imaginava-se que o cérebro começava a envelhecer muito antes de um ser humano atingir a idade adulta. Graças ao avanço da neurociência foi descoberto que o cérebro é o órgão humano que menos envelhece. Só que isso não minimiza a necessidade de cuidados e hábitos capazes de cooperar na diminuição deste desgaste. 

O envelhecimento do cérebro está relacionado a diminuição do tamanho do órgão, com isso perdemos neurônios e há alteração na produção de hormônios e neurotransmissores. Outra consequência do envelhecimento cerebral é o acúmulo de proteínas que pode desencadear o desenvolvimento de doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer e o Parkinson. É importante destacar que este fenômeno não implica em quadros de demência ou perda de memória. Normalmente estes sintomas estão relacionados a uma doença específica, e não ao envelhecimento comum do cérebro.

        Agora que você já sabe que alguns quadros de doenças e sintomas podem ser agravados, ou estar relacionados ao envelhecimento de um dos órgãos mais importantes do corpo humano, fica clara a importância de realizar atividades que reduzam o índice de diminuição do tamanho do cérebro. Vamos conhecer algumas delas? 

Mexa-se

Fazer atividades físicas e movimentar o corpo melhora a oxigenação e a irrigação sanguínea no cérebro. O exercício regular também pode aumentar o volume do hipocampo, área que armazena e processa as memórias. 

Nunca pare de aprender 

Quando aprendemos algo novo, conexões se formam em nossos neurônios e acabamos exercitando a memória. Este estímulo cognitivo, que pode ser criado a partir de uma leitura, por exemplo, é capaz de tornar o cérebro mais tolerante aos efeitos da deterioração pelo envelhecimento e até ajudar na recuperação de uma doença cerebral, como um AVC. 

Durma bem 

Afinal, é durante o sono que as memórias se consolidam, não é mesmo? Mas não basta só fechar os olhos, é necessário um sono de qualidade. Não é por acaso que uma noite mal dormida acaba ocasionando dificuldade para lembrar de coisas simples e raciocínio lento no dia seguinte. 

Cuide do cardápio 

Dar atenção à alimentação é essencial para envelhecer de forma saudável. A dieta que favorece as atividades cognitivas é a Mediterrânea. Ela possui foco em baixo consumo de carne vermelha, priorizando o consumo de peixe. Também opta por uma quantidade média de laticínios ingeridos, consumo moderado de álcool - já que nada em excesso é bom para o corpo humano - e alta ingestão de verduras, legumes, frutas e cereais. 

Sai, estresse! 

O excesso de estresse pode desencadear em nossa massa cinzenta alterações químicas e estruturais que levam a destruição de neurônios e do hipocampo. Rotinas exaustivas e o descontrole das emoções funcionam como um agravante para que hábitos ruins se instalem, como tabagismo, abuso de álcool, sedentarismo e alimentação desequilibrada. 

Cuide-se

A Associação Americana de Cardiologia lançou recentemente um estudo chamado Life"s Simple 7, que aponta sete passos que devem ser seguidos desde a infância, e que ajudam no controle de diversas doenças, inclusive das cognitivas. São elas: o controle da pressão arterial e do colesterol, manter os níveis de açúcar no sangue dentro do normal, fazer atividades físicas, comer de maneira saudável, perder peso extra e não fumar. Até porque corpo são é resultado de mente e cérebro sãos também!

Estimule seu cérebro 

As aulas do método Super Cérebro são para todas as idades e promovem estímulos cognitivos e socioemocionais. Entre em contato com a unidade mais próxima e venha exercitar seu cérebro com a gente hoje mesmo!

Tags: super cérebro, blog super cérebro, saúde do cérebro, neurociência
Leia Mais