Profissões

Transição de carreira: de funcionário para franqueado Super Cérebro

Publicado em: 27/04/2021

O que foi decisivo para nossos franqueados escolherem investir em uma franquia educacional? 

por Hellen Barbosa 


Você já pensou em deixar de ser funcionário e abrir o seu próprio negócio? Crises financeiras, diferentes opções de atividades profissionais e o desejo por mais liberdade têm feito muita gente pensar em deixar seu emprego para se arriscar no sonho de empreender. 

Alguns de nossos franqueados, quando decidiram investir no mercado educacional, passaram por transições em suas carreiras. No texto de hoje, vamos listar os três principais fatores que fizeram estas pessoas escolherem a franquia de educação que mais cresce no Brasil: o Super Cérebro

Insatisfação com o trabalho

O ambiente das empresas está cada vez mais controlado, e com isso o grau de autonomia dos funcionários acaba diminuindo. Além disso, o mundo está cada vez mais competitivo e profissionalizado e as relações humanas acabam sendo deixadas de lado.  

O franqueado da unidade Gutierrez, em Belo Horizonte-MG, Anderson, afirma que encontrou no Super Cérebro um novo propósito. “Eu trabalhei muito tempo em vários mercados e empresas. Chegou um momento em que isso não fazia mais sentido pra mim. Aqui no Super Cérebro eu encontrei o que estava buscando: treinamento, crescimento profissional e orientação. E principalmente me identifiquei com o propósito do método, o desenvolvimento integral do ser humano”. 

Criatividade e inovação

Acompanhando o desenvolvimento de novas tecnologias, os profissionais estão cada vez mais sentindo necessidade de se envolver com iniciativas criativas e inovadoras. Segundo afirmação feita no Fórum Econômico Mundial de 2018, 65% das crianças que estão na educação básica terão profissões que ainda nem existem. Isso demonstra que as profissões do futuro estão ligadas a características que nem foram criadas ainda. Por isso a importância de, cada vez mais, criar e inovar.  

Foram estes atributos que fizeram com que o franqueado de Ceilândia, no Distrito Federal, Robson Pio, enxergasse potencial no Super Cérebro. “Meu sócio, Carlos, foi quem me apresentou o método. Nós dois, como profissionais da psicologia, sempre quisemos inovar. Foi a partir daí que resolvemos nos jogar de cabeça nesse negócio”.

Satisfação antes de qualquer retorno financeiro 

A maioria das pessoas que está em uma transição de carreira busca mais satisfação pessoal do que remuneração. Além do desejo de melhorar a qualidade de vida, que também acaba influenciando nesta escolha. Afinal, o estresse, o trânsito e a pressão por resultados são fatores presentes no dia a dia de todos os funcionários brasileiros. E as pessoas querem poder equilibrar isso tudo trabalhando em algo que faça sentido para elas

A Glaucia, franqueada de Praia Grande, litoral de São Paulo, conta que sua relação com o Super Cérebro é bem pessoal. “Quando conheci o Super Cérebro, até me emocionei, sou psicopedagoga e já fui professora, já vivi diversas situações em sala de aula que possuem potencial de serem desenvolvidas a partir do método”. Ela completa dizendo que o Super Cérebro é a materialização de algo que ela sempre sonhou para atender as necessidades de seus alunos. 

Agora que você já conhece algumas características que fizeram com que os nossos franqueados enxergassem potencial para investir no Super Cérebro, conta pra gente: você acha que também possui estes mesmos ideais? Está preparado para iniciar a transição da sua carreira e investir em um negócio com propósito? Será um prazer enorme para o Super Cérebro ser o seu novo parceiro neste caminho.

Tags: super cérebro, franquia super cérebro, franqueado super cérebro, soft skills, transição de carreira
Leia Mais